Garça.
Anuncie Aqui Fale Conosco Receba notícias no What’s App 14 98184-5807

Postado em 01/10/2019 às 10:52

Administração tira hospital da falência e anuncia 10 leitos de UTI em Garça

Tema foi tratado desde o início da atual gestão como prioridade pelo prefeito João Carlos

 
O município de Garça tirou o único hospital da cidade da falência, profissionalizou uma UPA e Unidades de Saúde e fez até voltar a nascer mais bebês na cidade.
 
No ano passado, poucos bebês garcenses nasceram de verdade na cidade. Neste ano, mais de 59 bebês já poderão dizer que nasceram realmente no município, no hospital da cidade e não no da vizinha. Isso é fruto de uma reestruturação do Hospital São Lucas, somado a diversos outros serviços de saúde que foram terceirizados para uma empresa privada, a AHBB.
 
No segundo semestre do ano passado, a crise financeira do Hospital São Lucas administrado pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia poderia deixar a cidade sem o único hospital com leitos de internação de Garça. Uma atitude ousada e difícil do atual prefeito, João Carlos dos Santos, muito criticado na época por seus oponentes político-partidários, conseguiu encaixar um acordo legal difícil em que a instituição dissolvida foi autorizada a arrendar as estruturas existentes. Melhor, o prefeito conseguiu atrair e convencer que viesse gerir parte da saúde pública da cidade uma das maiores empresas do ramo de saúde terceirizada, associada ao grupo das maiores e mais sérias prestadoras de serviço de saúde do País.
 
A Associação Hospitalar Beneficente do Brasil (AHBB) é um grupo especializado em gestão de saúde pública e só fecha contrato com prefeituras após análise de risco, de crédito, de seriedade no compromisso, e assumiu por 15 anos administrar o hospital, a UPA e outros serviços, atendendo pacientes de média e baixa complexidade em parceria com as 14 unidades de saúde do município.
 
“O Hospital São Lucas, que antes tinha apenas médicos de terceiro emprego, ou seja, o hospital era sua terceira prioridade, agora conta com equipes próprias, com médicos de primeiro emprego, onde a prioridade é aqui”, conta o gestor da AHBB que mudou a saúde pública de Garça, Rogério Miotello.
 
A reestruturação do hospital já ganhou a confiança do garcense. “A referência é o número de partos. A população por medo ia ter seus filhos nas cidades vizinhas e isso já não está mais acontecendo. Neste ano já foram 59 partos realizados no hospital”, conta.
 
A cidade com cerca de 45 mil habitantes, conta ainda com uma Unidade de Pronto Atendimento 24 horas que vem suprindo uma demanda reprimida de cerca de 6 mil pacientes por mês. Em nove meses foram 53.517 atendimentos. Destes, 10.287 não eram urgências ou emergências, que poderiam ter sido atendidos em uma unidade de saúde comum.
 
Segundo Miotello, a ausência de um serviço 24 horas dentro da cidade fez com que uma grande demanda reprimida e ainda a ser organizada buscasse o atendimento na UPA.
 
“Temos capacidade de atender a todos, ninguém fica sem ser atendido, mas uma demanda destas, de até 280 pacientes em espera por hora, como no mês de maio deste ano, a sensação de desconforto é maior porque existe uma norma de triagem que devemos respeitar”, explica.
 
Na UPA - que prioriza urgência e emergência - o atendimento rápido em torno de 15 minutos é pra quem corre mais riscos. Por isso a avaliação prévia é sempre imediata. A saúde do paciente é preservada pela urgência. Quem não tem urgência, mas mesmo assim procura atendimento médico na UPA pode ficar até quatro horas em espera, mas é atendido. Isso 24 horas por dia.
 
“Temos uma rede de 14 unidades de saúde que podem atender e iremos desenvolver um programa de orientação para melhorarmos ainda mais o atendimento na cidade”, concluiu.
 
Já a novidade ainda está em gestação, com poucas informações, mas com data para começar até o final do ano. O gestor da AHBB que presta serviço para a Prefeitura de Garça conta apenas que o hospital do município irá ganhar 10 leitos de UTI.
 
“Em vez de exportarmos pacientes começaremos a ser importadores de pacientes e uma referência complementar para toda a rede pública de saúde do interior, colocando Garça na Central de Regulação de Oferta de Serviço de Saúde, recebendo pacientes de toda a região que precisarem de leitos de UTI. A AHBB é uma das maiores especialistas em gestão de UTI do Brasil”, conta ele.
 
Fonte: Jornal Cidade de Marília

Veja Também

Prefeitura dará anistia de juros e multas de até 100% em Garça
Democratização do acesso ao cinema no Brasil é tema da redação do Enem
Treinamento marca o início do processo de centralização da farmácia
Garça recebe a carreta da mamografia a partir do dia 4 de novembro
Garça Web
Receba notícias no What’s App
14 98184-5807
Garça Web © 2017 Todos os direitos reservados | Desenvolvido por StrikeOn